segunda-feira, 24 de abril de 2017

[Quotes] A última mensagem de Hiroshima

Postado por Ju às 23:00 0 comentários
Na semana passada, postei por aqui a resenha de A última mensagem de Hiroshima. Vocês podem lê-la clicando neste link. Para quem não conhece o livro, deixo a capa e a sinopse.

Como sobreviver com a mente cheia de memórias da Segunda Guerra Mundial? Como lidar com o trauma de ter presenciado a destruição arrebatadora de uma bomba atômica praticamente ao seu lado? E como pensar em salvar civis quando sua própria vida está em jogo? Conheça neste livro a história do Sr. Takashi Morita, sobrevivente da bomba atômica que dizimou milhares de seres humanos e que até hoje manifesta efeitos na saúde física e mental da população de Hiroshima e de Nagasaki. Após sofrer situações tão devastadoras como as que o Sr. Takashi viveu, muitos de nós provavelmente sucumbiríamos ao rancor. A sabedoria, no entanto, com a qual ele enfrentou suas memórias mais sombrias é inspiradora. Quando questionado a respeito de suas mágoas com relação aos norte-americanos, responsáveis pelo envio da bomba atômica a Hiroshima, o veterano responde: "Estavam apenas fazendo o seu trabalho." O perdão, a compreensão, a empatia e todos os laços e fortalezas construídos em detrimento de um passado que é impossível de esquecer são lições que o Sr. Takashi, agora um comerciante de 93 anos que vive no Brasil, visa nos ensinar neste emocionante relato.

Mas esse não é o objetivo principal da postagem de hoje. O que eu quero é mostrar para vocês alguns trechos do livro que separei durante a leitura. Espero que gostem. E preparem-se, nem todos são fáceis de ler.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

[Resenha - Arqueiro] O sol também é uma estrela

Postado por Ju às 22:30 13 comentários
Título: O sol também é uma estrela
Autora: Nicola Yoon
Tradução: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Skoob


Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?


Natasha está prestes a ser deportada. Ela é uma imigrante ilegal, assim como seus pais. Nem o fato do irmão ter nascido nos Estados Unidos permitiu que não fossem obrigados a voltar para a Jamaica. A garota mora no país desde os 8 anos e agora, prestes a se formar no ensino médio, não sabe o que será de sua vida.

Daniel é um coreano-americano e em sua família quem toma as decisões a respeito de sua vida são seus pais. Eles resolvem que o garoto entrará em Yale e estudará para ser médico, e é assim que vai ser se ele quiser continuar sendo sustentado por eles. Então, embora sua real vontade seja escrever poesia, Daniel está se dirigindo para sua entrevista de admissão quando seu destino se cruza com o de Natasha.

terça-feira, 18 de abril de 2017

[Resenha - Universo dos Livros] A última mensagem de Hiroshima

Postado por Ju às 18:00 12 comentários
Título: A última mensagem de Hiroshima
Autor: Takashi Morita
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 152
Skoob


Como sobreviver com a mente cheia de memórias da Segunda Guerra Mundial? Como lidar com o trauma de ter presenciado a destruição arrebatadora de uma bomba atômica praticamente ao seu lado? E como pensar em salvar civis quando sua própria vida está em jogo? Conheça neste livro a história do Sr. Takashi Morita, sobrevivente da bomba atômica que dizimou milhares de seres humanos e que até hoje manifesta efeitos na saúde física e mental da população de Hiroshima e de Nagasaki. Após sofrer situações tão devastadoras como as que o Sr. Takashi viveu, muitos de nós provavelmente sucumbiríamos ao rancor. A sabedoria, no entanto, com a qual ele enfrentou suas memórias mais sombrias é inspiradora. Quando questionado a respeito de suas mágoas com relação aos norte-americanos, responsáveis pelo envio da bomba atômica a Hiroshima, o veterano responde: "Estavam apenas fazendo o seu trabalho." O perdão, a compreensão, a empatia e todos os laços e fortalezas construídos em detrimento de um passado que é impossível de esquecer são lições que o Sr. Takashi, agora um comerciante de 93 anos que vive no Brasil, visa nos ensinar neste emocionante relato.


Não é segredo para ninguém que, embora eu considere a época da Segunda Guerra Mundial uma das mais dolorosas que a humanidade já viveu, sempre estou interessada em saber mais sobre ela. Mesmo que me doa - e sempre dói absurdamente ler sobre isso - acredito que seja essencial que tudo o que aconteceu não corra o risco de ser esquecido.

Mas minhas leituras se concentram em histórias que se passam na Alemanha nazista, talvez porque em ficção seja o assunto mais trabalhado, ou pelo menos o que mais chega por aqui, e sempre foco minhas leituras em ficção. Quando vi que a Universo dos Livros lançaria um livro escrito por um sobrevivente da bomba atômica de Hiroshima, lançada em 06 de agosto de 1945, sabia que não podia deixar passar.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

[Resenha - Geração Editorial] Um ano na vida de um gênio

Postado por Ju às 20:00 10 comentários

Título: Um ano na vida de um gênio
Autora: Stacey Matson
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Livro #1 da série
(Selo Geração Jovem)
Número de páginas: 264

"Eu, Arthur A. Bean, vou ser famoso. Não vai ser fácil, eu sei. A sétima série já está ficando em meu caminho. Meu verdadeiro amor, Kennedy, mal me nota, e a sra. Whitehead não entende meu gênio criativo. Além disso, Robbie Zack (aquele perdedor) pensa que eu roubo suas ideias, coisa que eu não faço. Não é trapaça se acontecer de você ler coisas de outra pessoa e, em seguida, ter uma explosão de inspiração. Tenho certeza de que é o que todos os escritores famosos fazem. E eu vou ser famoso. Eu só preciso ganhar o concurso de contos deste ano…". Bem-vindo a um ano na vida de Arthur A. Bean. Ele é irreverente, ultrajante… E se as ameaças de Robbie se cumprirem, ele está prestes a ter a cabeça enfiada no vaso sanitário!

Arthur Aaron Bean tem 13 anos e não está tendo um ano nada fácil. Sua mãe morreu há poucos meses e ele atrasou o início de seus estudos em uma nova escola por causa disso. Dizem ao garoto que foi colocado na sala de amigos da escola anterior, mas o único colega que reconhece é o valentão que fazia bullying com ele. Ou seja, não fica nada feliz.

Arthur quer ser um escritor famoso, e para isso não tem outra alternativa: precisa vencer um concurso de contos. Mas será que vale qualquer coisa para alcançar seu objetivo? Aquela história de que os fins justificam os meios é real?

quarta-feira, 12 de abril de 2017

[Resenha - Rocco] O canto dos segredos

Postado por Ju às 20:00 21 comentários
Título: O canto dos segredos
Autora: Tara French
Tradução: Waldéa Barcellos 
Livro #5 da série Dublin Murder Squad
Editora: Rocco
Número de páginas: 608

Um detetive ambicioso em busca de uma chance de ascender profissionalmente; um homicídio que envolve adolescentes de um prestigiado internato católico de Dublin; uma investigadora durona com fama de poucos amigos. Ganhadora do prêmio Edgar e sensação do romance policial dos últimos tempos, a irlandesa Tana French junta, em O canto dos segredos, investigação policial, suspense e personagens muito bem construídos para contar uma história apontada como “um triunfo assombroso” pelo The Washington Post. Mais bem-sucedido livro da autora, no ranking do New York Times por semanas, O canto dos segredos tem início quando a adolescente Holly Mackey procura o detetive Stephen Moran com uma pista sobre o assassinato de um jovem nas dependências do tradicional colégio Sta. Kilda, um ano antes. Para solucionar o caso (e alcançar a posição que almeja na Divisão de Homicídios), Moran trava uma luta surda com a difícil Antoinette Conway, inicialmente encarregada do caso, numa trama que perpassa temas como as relações de amizade e poder, os excessos da juventude, vaidade, lealdade e diferenças sociais.

O colégio St. Kilda, que funciona como internato e externato apenas para garotas de altíssima classe social, precisava de um recurso para que as alunas pudessem desabafar. Assim, surgiu o Canto dos Segredos, um quadro em que elas poderiam afixar cartões anônimos para lidar melhor com seus conflitos e sentimentos. Obviamente o quadro é monitorado pelos professores, mas nem sempre eles são os primeiros a ver algo novo.

É lá que Holly Mackey encontra uma evidência relacionada a um crime acontecido há um ano atrás. Um aluno da escola vizinha, Chris Happer, foi assassinado no terreno do Kilda, e o caso está sem solução até o momento. Até que alguém prega um cartão com uma foto do garoto e os dizeres: “Eu sei quem o matou”. É esse cartão que Holly, filha de um policial que desde pequena teve que aprender a conviver com crimes, já que acabou se tornando testemunha em um caso quando ainda era muito nova, encontra e decide levar à polícia. Mas não a qualquer policial.
 

Entre Palcos e Livros Copyright © 2014 Design by Rebecca Barboza RêVivendo